segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A GUARDADORA DE GANSOS

Irmãos Grimm
Num reino muito distante vivia uma rainha viúva com a sua única filha, uma moça linda de maravilhosos cabelos dourados. Quando ela atingiu a maioridade, a rainha consentiu o seu noivado com o príncipe de uma terra distante, para que ambos os reinos se unissem, mesmo que a princesa e o príncipe nunca se tivessem visto.
A princesa partiu então para o reino do seu noivo com um suntuoso enxoval, rico em jóias e ouro, e com uma das damas de companhia de sua mãe. Ambas viajavam a cavalo. O cavalo da princesa chamava-se Falada porque sabia falar, mas só ela sabia disto.
Tinham passado algumas horas quando a princesa sentiu sede. Pediu que a dama de companhia lhe trouxesse um pouco de água. No entanto, a dama replicou que fosse ela mesma buscar água. A princesa nada disse, mas ao debruçar-se num riacho ali perto, suspirou de tristeza. Quando voltou para o seu cavalo, este lhe disse "Se a sua mãe tivesse visto isto, o seu coração teria se partido."
Assim que a princesa regressou, a dama a obrigou a trocar de cavalo e de roupas com ela, para que ela pudesse casar com o príncipe. Ainda ameaçou matar a princesa se contasse o que aconteceu. Esta concordou e nada mais disse durante toda a viagem. O único que se mantinha atento era Falada.
Ao chegarem ao reino, todos acreditaram que a dama era a princesa. A verdadeira princesa foi deixada no pátio e a dama foi levada para dentro do palácio. Assim que viu o rei, pediu-lhe que matasse o cavalo, dizendo que estava cheia de dores por sua culpa. Pediu também para que encarregassem a dama que a acompanhava de um trabalho qualquer.
O rei mandou matar o cavalo e a princesa virou uma guardadora de gansos. Ao saber que Falada tinha sido morto, a princesa pediu ao açougueiro a cabeça do cavalo. Como este homem gostava da moça, ele pendurou a cabeça do cavalo numa das portas da cidade, por onde a princesa costumava passar sempre que ia guardar os gansos junto com um rapazinho.
Ao passar pela porta, ela e Falada cumprimentavam-se, e ela ouvia sempre "Se a sua mãe tivesse visto isto, o seu coração teria se partido ". Ao chegarem ao campo o menino se aproximava da princesa e tentava roubar algum cabelo dourado. Mas a princesa encantava o vento, que fazia voar para longe o chapéu do menino. Assim ela penteava seus cabelos em paz e o rapaz só voltava quando ela já tinha terminado.
Um dia, o rapazinho foi até o rei e pediu para arranjar outra pessoa para guardar os gansos com ele porque aconteciam coisas muito estranhas sempre que ele ia para o campo com a guardadora de gansos. Ao ouvir o relato, o rei resolveu acompanhá-los e viu tudo que acontecia com os seus próprios olhos.
Foi até a casinha onde morava a princesa para perguntar porque ela se comportava assim. A princesa baixou os olhos, dizendo que não podia de forma alguma contar, tinha feito um juramento. O rei aconselhou-a a confiar a verdade ao forno e foi esconder-se do lado de fora para ouvir tudo sem ser visto. A princesa começou a chorar e contou toda a sua triste história ao forno. Imediatamente o rei levou a princesa ao palácio e explicou ao filho o que tinha acontecido. O príncipe se alegrou muito, porque não gostava de sua noiva.
Nessa noite, a princesa jantou na mesa da família real, vestida como a princesa que era. O rei contou a história toda, e perguntou a todos qual castigo deveria ser atribuído à dama. Esta, que não tinha reconhecido nem a princesa nem a história, sugeriu colocar a pessoa num barril com facas e fazê-lo rolar por todas as ruas da cidade. O rei anunciou que a sentencia seria cumprida. E o príncipe e a verdadeira princesa puderam se casar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário