sexta-feira, 4 de maio de 2012

FILHOS DO CORAÇÃO- Magda

Sempre que alguém adota uma criança, falamos que é filha do coração.
Mas, nos caminhos da vida, nem sempre adotamos (por vias legais) e mesmo assim, surgem, frutos do acaso, de situações atípicas que nos solicitam um carinho especial, um aconchego, uma "adoção afetiva".
Podem ser alunos,
netos
evangelizandos
filhos de alguém próximo
sobrinhos
seres que se encontram afastados de suas famílias
...ou outros seres pequeninos...adolescentes...ou adultos...e até os mais velhos que nós mesmos...
mas que nos tornam uma figura importante em suas vidas.
Estes, são os filhos do coração, cujo amparo e a troca de vibrações positivas certamente nos fazem um bem maior do que aquele que supomos doar.
Se cada um de nós levasse em conta que o próximo deveria ser tratado como filho do coração, a raça humana estaria bem mais próxima da bondade e da perfeição.
O problema é que está arraigado em nós o conceito de doar quando "vale a pena", quando haverá gratidão e reconhecimento ou ainda, quando julgamos ser o outro merecedor de nosso gesto. E, o nosso sistema de julgamento é tão falho!!! Tão superficial!!!!
Há uma grande economia de afeto, de empatia e um reinado de egoísmo e de orgulho.
Vamos divulgar o conceito dos filhos do coração e realmente nos importar uns com os outros, pois exemplos são mais eficazes que palavras.
Magda Kokke

Nenhum comentário:

Postar um comentário