domingo, 8 de abril de 2012

O CAMINHO DA VACA

Um dia, através da floresta virgem,uma vaca emigrou para seu curral distante. Mas fez uma picada sinuosa, corcoveada, a exemplo de todas as vacas.
Trezentos anos escoaram-se desde então e deduzo que a vaca esteja morta. Mas, atrás de si ela deixou seu rastro, o qual foi seguido no dia seguinte por um cão vagabundo, que percorreu a mesma trilha. E depois, um prudente cão - guia seguiu-o por vales e montes. E após si, conduziu o rebanho, a exemplo também de todos os bons guias.
E desede esse dia, por pobres outeiros e planícies, foi-se abrindo um caminho através daquela floresta.
Muitos homens molestavam-se por dentro e por fora, esquivavam-se, voltavam e perambulavam. E proferiam palavras de justa indignação, por causa de tão sinuoso caminho. Mas, ainda assim, continuavam repetindo _ não se ria! _ a primeira emigração da vaca!
O caminho da floresta tornou-se uma alameda que se encurva, dobra e redobra. A tortuosa alameda transformou-se numa estrada e esta converteu-se numa viela de aldeia. E sem que os homens o percebessem, a viela metamorfoseou-se numa movimentada via pública da cidade.
E logo se erigiu em uma rua central de uma famosa metrópole. E durante dois séculos e meio, tem os seres humanos se submetido às pegadas da vaca, morta há quase três séculos. E ainda seguem seu saracoteado trajeto e em cada dia perdem uma centena de anos.
Pois tal e tanta é a reverência que tributam a um precedente estabelecido, que trabalham a morrer, de sol a sol, no afã de imitar o que os outros fizeram.
Só palmilham pista já batida, oscilando para dentro e para fora, para adiante e para trás.
Seguem sempre seu tortuoso curso, para conservar o trajeto iniciado por outros.
Fazem do caminho uma rota sagrada, pela qual se movimentam durante toda a vida.
Ah! Quanta coisa poderia esta história ensinar...
Autor desconhecido. Caso alguém conheça a autoria, favor nos comunicar que faremos a divulgação dos créditos. Grata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário